A Sombra do Vento

Hoje amanheci com a triste notícia que Carlos Ruiz Zafón, um dos meus autores preferidos, havia morrido precocemente aos 55 anos. A Sombra do Vento foi o primeiro livro dele que li. Lembro do impacto que me causou há alguns anos e o livro acabou se tornando um dos meus preferidos até hoje.

Marina, O Príncipe da Névoa, O Jogo do Anjo, foram outros livros fantásticos de Zafón, embora nenhum tenha sido tão marcante para mim quanto A Sombra do Vento.

CRZ

Numa madrugada de 1945, em Barcelona, Daniel Sempere é levado por seu pai a um misterioso lugar no coração do centro histórico: o Cemitério dos Livros Esquecidos. Lá, o menino encontra A Sombra do Vento, livro maldito que mudará o rumo de sua vida e o arrastará para um labirinto de aventuras repleto de segredos e intrigas enterrados na alma obscura da cidade. A busca por pistas do desaparecido autor do livro que o fascina transformará Daniel em um homem ao iniciá-lo no mundo do amor, do sexo e da literatura.

Bastou a sinopse do livro para me conquistar, mas A Sombra do Vento tem muito mais. É daqueles livros que você lê e fica um tempão pensando nele. O autor escreve com maestria e a construção de seus personagens é muito bem desenvolvida. Destaco aqui Fermín, amigo de Daniel, um intelectual na pele de um mendigo que tem um bom humor incrível.

A escrita de Zafón é poética, sedutora. Ele consegue misturar passado, presente e futuro sem se perder. O livro tem uma fascinante mistura de drama, suspense e romance. Cada página tem em certo tom de mistério que deixa o leitor querendo sempre mais. E apesar disso, é daqueles livros para se ler devagar, saboreando cada frase, com pena que ele acabe.

Além disso tem o Cemitério dos Livros Esquecidos, um lugar mágico, que eu gostaria de um dia encontrar.

A morte de Carlos Ruiz Zafón é uma perda irreparável para a literatura mundial. Fica aqui minha homenagem ao autor.

Abaixo, algumas das frases mais memoráveis do livro A Sombra do Vento.

“Cresci no meio de livros, fazendo amigos invisíveis em páginas que se desfaziam em pó cujo cheiro ainda conservo nas mãos”

“O destino costuma estar ao virar da esquina. Como se fosse uma rameira, um gatuno ou um vendedor de loteria: as suas três encarnações mais batidas. Mas o que não faz é visitas à domicílio. É preciso ir atrás dele.”

“Cada livro, cada volume que você vê, tem alma. A alma de quem o escreveu, e a alma dos que o leram, que viveram e sonharam com ele. Cada vez que um livro troca de mãos, cada vez que alguém passa os olhos pelas suas páginas, seu espírito cresce e a pessoa se fortalece.”

“As pessoas estão dispostas a acreditar em qualquer coisa antes de acreditar na verdade.”

Autor: dicasdamon

Meu nome é Mônica e adoro viajar, ler, assistir a filmes e séries e sair com os amigos. Adoro artes e amo a obra de Van Ghog.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s